CentoETre(^)s

Procuro dormir um pouco por entre

as almofadas coloridas

em minha sala....



Escrito por LMP às 00h28



CentoEDois

 

Assisto TOPCAT, hilário, divertido, tenho surtos de felicidade......

............Talvez a minha infância aos muitos se torne viva naqueles rápidos episodio felizes

 



Escrito por LMP às 00h25



CentoEUM

 

 

"Tudo é loucura ou sonho no começo. Nada do que o homem fez no mundo teve início de outra maneira — mas já tantos sonhos se realizaram que não temos o direito de duvidar de nenhum." – Monteiro Lobato



Escrito por LMP às 00h17



CEM

 

O mundo me observa..... prefiro ser observado a observar,

estranhos pensamentos circulam a tela da TV,

eu involuntariamente procuro fugir,

ora existe um mundo lá fora o qual eu preciso tratar bem!



Escrito por LMP às 00h11



NOVENTA E 9

 

BRINCO!

 

 



Escrito por LMP às 00h07



Noventa e 8

 

Leio um livro japonês do inicio do século, ainda procuro compreender partes do texto,

..........ora meu gato simplesmente “mia”.............



Escrito por LMP às 00h06



Noventa e 7

 

 

Pessoas silenciosamente adentram minha vida,

causando um barulho digno de quem nada falou, e causou polemica!

 



Escrito por LMP às 00h02



Noventa e 6

 

Meu corpo, minha alma,

são como marionetes que eu insisto em brincar........



Escrito por LMP às 23h56



N O   V           E          N        T        A              E                              5


VELOCIDADE =    relação entre espaço percorrido e tempo de percurso no movimento uniforme, movimento ou deslocamento rápido ou apressado, cadência ou freqüência em que uma película se desenrola na câmera, vetor que representa a direção, o sentido e a razão entre a variação da distância e a variação correspondente do tempo de um corpo em movimento, tempo durante o qual permanece aberto o obturador de uma câmara [É o tempo de exposição do filme à luz.], a potência, luminosidade ou capacidade de concentrar a luz por parte de uma lente ou um sistema ótico.



Escrito por LMP às 01h11



NOVENTA E 3

                                             

              

Sempre amei Londres, apesar da fleuma de seus habitantes.

Gosto de sentir a cidade, gosto de dizer apenas "excuses me" and "pardons" - pouca conversa e  muito respeito. Gosto de Piccadilly Circus, de observar as coisas acontecendo em Convent Garden, gosto do inverso do certo, da neblina, das cabines telefônicas, dos “red buses”, dos "black cabs" , dos "hop-on-hop-off tours", gosto dos pubs que fecham as 11pm, gosto das "coisas vitorianas", gosto de apreciar o Tamisa de longe e de perto, as vezes gosto de Shakespeare ("There are more things in heaven and earth, Horatio, Than are dreamt of in your philosophy." - Hamlet (I, v, 166-167), gosto da poesia de Blake, ( "If the doors of perception were cleansed every thing would appear to man as it is, infinite." ), gosto de Charles Dickens, ("It was the best of times, it was the worst of times........." A Tale Of Two Cities.). Gosto da Harrods, de Notting Hill, da feira de antiguidades de Portobello , do sotaque oriental pelas ruas, gosto da “city”, da Victoria Station, dos Bed And Breakfast (upon arriving), gosto também de Gatwick ou Heathrow, pois bem sei que não GOSTO de Londres por muito tempo. Enfim! 

Yet it's  5 clock .......! Please bring me a cup of tea ! I am in London!

Londres não tem graça sem o chá das 5.

 

Fim de tarde, inicio de noite,  -- “speaker’s corner”, Hide Park.

Uma louca vontade de dizer TUDO que sinto;  Londres, Londres, Londres....     Passou!

 



Escrito por LMP às 01h08



NOVENTA E 2

"Meu amor quando me beija
Vejo o mundo revirar
Vejo o céu aqui na terra
E a terra no ar
Os seus lábios têm um mel
Que a abelha tira da flor
Eu sou pobre, pobre, pobre
Mas é meu o seu amor
Quem tem amor peça a Deus
Pra seu bem
Lhe amar de verdade
Para mais tarde
Não ter desenganos
E chorar de saudade
Quem foi na vida
Que teve um amor
E esse amor sem razão lhe deixou
E até hoje não guarda no peito
A marca da dor"

(Waldir Rocha)



Escrito por LMP às 00h32



NOVENTA E 1

Ela abriu a porta, uma rajada de vento fina adentrou meu corpo já gelado pela situação.... Meus instintos de sobrevivência gritaram, minha boca precavida calou-se.

 



Escrito por LMP às 00h09



NOVENTA

 

Devo identificar-me com ELA e ver o mundo através de seu sistema de valores, tal como ELA o vê; devo colocar – me em seu lugar, e depois , de volta ao meu lugar, completar meu horizonte com o que se descobre do lugar que ocupei, fora dele devo emoldurá-lo, criar um ambiente que acabe, mediante o excedente da minha visão, de meu saber, de meu conhecimento.

(incidental sobre texto de Bakhtin)

 

Preciso escrever lhe cartas, telegramas, poemas, e-mail, etcs..... de AMOR, tal qual ela faz ( a outros), me senti isolado ao meu universo, me senti deposto do trono de pobre rei que sou, fiquei perdido em tempos, como e fraco o AMOR, quando agente AMA.... ......todas as forças desaparecem, não sei mais o que sinto, não sei mais o que eu quero ( alias: quero ama-la), porem sinto me longe deste sentimento (AGORA!), uma fina chuva lacrimeja a minha vidraça  em harmonia maestral com meu rosto, tudo são lagrimas !!!!!!!!!

 

Mas um dia lhe escreverei coisas belas, e que a faça feliz, pois eu a amo muito! Mesmo que sejam coisas ridículas, afinal como disse Pessoa:

“Todas as cartas de amor são

Ridículas.

Não seriam cartas de amor se não fossem

Ridículas.”

 

Eu escreverei SIM como ela escreveu (não a mim!), eu tentarei fazer o mesmo, pois até quem não pertence ao fato em si se sente “RIDÍCULO”......

 

“Quem não compreende um olhar, tão pouco compreenderá uma longa explicação.”  (CL)

 

E este o RIDÍCULO que sou para com ela um RIDÍCULO de poucas explicações e milhões de olhares...... Pois afinal:

 

 “Tenho apenas duas mãos e o sentimento do mundo...". (CD)

 

TE AMO !



Escrito por LMP às 02h22



OITENTA E 9

Procurando pelo o induvidavel, involuntariamente adentrei por entre  os pseudos segredos dela, quanta coisa, quanto medo tudo isto que li me dar...... me pergunto! Seria tudo real? Ou seria louca imaginação de um homem apaixonado, NÃO POSSO TER DUVIDAS!

 

 



Escrito por LMP às 01h50



OITENTA E 8

 

 

O único "link" entre EU e ELA é hoje virtual, apenas a saudade e os desejos que sinto são reais. Fazem-me pensar o quanto o MUNDO é GRANDE nas horas que menos precisamos, é pequeno quando NUNCA queremos. Respiro!



Escrito por LMP às 00h27



OITENTA E 7

Ao ir ELA levou o ontem com ela e me deixou no presente com  a espera do amanhã que estava toleravelmente distante... Enquanto no vazio da ausência dela....... eu ouvia

AYER TE VI

Ayer te vi
ayer te vi
ayer te vi con el rostro cansado
de tanto llorar.

Ayer te vi
ayer te vi
ayer te vi
con los ojos abiertos
sin poder mirar.

No te vas a morir
porque a vos te de la gana
y veni a candombear
a las tres de la mañana.

Y despues me contas si seguis
alimentando penas
o si pudo al fin el candombe
tus penas matar.



Escrito por LMP às 17h46



OITENTA E 6

Ignoro com certa prudência o estado emocional dela, sinto cheiro de água salgada no ar.... Por longos segundos contemplo aquele lindo sorriso, que desaparece sem maiores explicações, perco meus sentidos, perco minhas razões, perco minha voz.



Escrito por LMP às 02h34



OITENTA E 4

 

Preciso respeitar meu estado emocional, pois sei bem que em breve a terei ao meu lado novamente, uma angustia insuportável !!!!!!!!! Um frio de verão  adentra minha alma em espaços  curtos e alternados, sinto os lábios dela em minha boca a quase todo gole de água, como ela esta presente em tudo. Preciso ter pressa, pressa em resolver o inacabado e de voltar pra ela,  ama-la.



Escrito por LMP às 00h32



OITENTA E 3

Tenho AMIGOS de todos os credos, raças e lugares. Tenho até AMIGOS que não sabem que sou seu AMIGO. Entendo que na amizade existe a projeção de um amor platônico e perfeito, sem pudores, pois esta supera a todos os outros sentimentos. A amizade verdadeira ignora a concorrência e não admiti falsas ilusões.Um verdadeiro AMIGO está disposto a tudo para ver o outro sorrir. Amigos são amigos !


Agradeço a Deus todos os dias por fazer parte de sua vida.

“E eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os
meus amores, mas enlouqueceria se morressem todos os meus AMIGOS!” (VM)

A você "FLAU" minha amizade sincera, e meu beijo carinhoso. Te amo muito!



Escrito por LMP às 03h04



OITENTA E 2

Chuva fina. Abro a geladeira e começo a degustar uma maçã, algo de erótico no ar, penso num amor eqüidistante que ainda não me chegou. Procuro vultos dela no espaço e na minha imaginação.... apenas uma leve sombra se propaga em minha "visão" tento beijar-lhe, não logro êxito.....não existe mas maçã nem pecado apenas o silencio cortante do pos-chuva.



Escrito por LMP às 01h28



OITENTA E 1

Fogo da minha existência,

chama da minha alma,

razão do meu viver.

 

 



Escrito por LMP às 23h36



OITENTA

 

As fascinações

ocultas,

nos olhos

dos humanos

me faz amar alguém

que apenas

me deu

um beijo de boa noite

e partiu

sem deixar vestígios



Escrito por LMP às 01h54



SETENTA E 9

 

 

manhã,

costas nuas,

minha alma,

tua alma,

tua boca, minha boca

palavras…. vaidades

inertes ao momento.



Escrito por LMP às 01h30



SETENTA E 8

 

 

tarde,

rostos suados

sobre a roupa,

cheiro de lavanda,

lembranças

de vidas

e de futuros…

os "presentes"

passam rápido

inertes ao momento.



Escrito por LMP às 01h29



SETENTA E 7

 

 

 

noite,

teus cabelos,

suas feridas,

teu sorriso

no meu  colo,

irresponsavelmente te uso

e você, se deixa usar….

inerte ao momento.

 



Escrito por LMP às 01h28



SETENTA E 5

 

  

madrugada,

corpos, copos

delírios, gritos,

cigarros,

choros,

risos, sussurros,

rezas,

coitos,

falsas verdades

verdadeiros prazeres

sons, vaidades,

tudo apenas......

inertes ao momento.

 

(madrugada adentro)



Escrito por LMP às 01h27



SETENTA E 4

 

 

entre

vestígios de passado,

um amor torna-se,

sem pressa,

visível ao necessário,

aos poucos consumindo

a tirania dos meus sonhos

algoz de minhas memórias,

que, inexplicavelmente

renuncia (e aceita) tudo

pela simples

razão de viver



Escrito por LMP às 01h24



SETENTA E 3

Fecho por alguns instantes os meus olhos, tento inutilmente sentir  a presença dela ao meu lado.

Escrito por LMP às 02h10



SETENTA E 2

Através da janela oval do avião consigo avistar algo  que me faz lembra-la, no ar um sentimento de melancolia e angustia.



Escrito por LMP às 02h02



SETENTA E 1

Não sei. Estou triste...

Escrito por LMP às 01h50



SETENTA

Talvez seja a chuva. O tempo nublado às vezes me deixa deprimido.
Talvez seja só saudade e a vontade de largar tudo e correr ao encontro dela.
Talvez seja somente tristeza, aquela que chega sem qualquer motivo.
Talvez seja porque ela não tenha me ligado como fazia antes.


Escrito por LMP às 01h49



SESSENTA E 9

Preciso voltar a rotina... [onde não tenho a tenho]

Escrito por LMP às 01h47



SESSENTA E 8

Pego o celular. Procuro contato com alguém distante. Não atende. Não retorna...



Escrito por LMP às 01h47



SESSENTA E 6

No caminho passo na lavanderia para pegar a roupa que esqueci a um mês., somente quero executar tarefas onde não  seja necessário o raciocínio

Escrito por LMP às 01h42



SESSENTA E 5

Acordo com a sensação de não haver dormido. Levanto. Tomo banho. Visto a primeira roupa que vejo porque não tenho vontade de pensar. Saio sem tomar  café.



Escrito por LMP às 01h39



SESSENTA E 4

                           

Talvez por passar tempo demais com pensamentos distantes.

 



Escrito por LMP às 00h56



SESSENTA E 3

Vou para minha cama e quando deito perco o sono.



Escrito por LMP às 00h54



SESSENTA E 2

olho para o TELEFONE e nem sinal dele tocar

apenas o barulho da TV me faz companhia.         .



Escrito por LMP às 00h35



SESSENTA E 1

Programa da Hebe, fim de noite (ninguem merece!!!), tento dormir mas acordo infinitas vezes no meio do sono e me vejo deitado na sala, retorcido no (meu) sofá. Dói meu pescoço. Acordo, durmo, durmo acordo!!!!!



Escrito por LMP às 00h25



SESSENTA

Mas também tem o outro lado. Segunda-feira quer dizer que começa uma outra semana e renovam as esperanças de que nesta semana eu consiga conciliar tudo, pegar o avião e encontrar a mulher que me faz querer ser melhor a cada dia.



Escrito por LMP às 11h14



CINQUENTA E 9

 Segunda-feira! Mil assuntos que deixamos pendentes na sexta-feira; mau-humor de voltar ao trabalho quando a vontade era de ficar na cama dormindo; vontade de mandar todos para a puta que pariu.....!!!!!!!!!!!! Mas claro, devo me preocupar em entender como calcular coisas, fatos, observar as pendências, e claro, o mau-humor dos outros que fingem não odiar as segunda-feiras



Escrito por LMP às 03h30



CINQUENTA E 7

Queria toca-la. Acaricia-la.Queria sentir seu toque, seu calor.       



Escrito por LMP às 03h12



CINQUENTA E 6

Que posso fazer se te quero perto? Fico triste por estar longe.



Escrito por LMP às 03h11



CINQUENTA E 5

Os dias parecem suceder em desencontros que não sei como lidar.
Aos poucos a distância se transforma em tristeza. A tristeza em dor, em dor profunda.


Escrito por LMP às 03h00



CINQUENTA E 4

Só queria olhar para você e poder entender todos estes sentimentos que me confundem.

Escrito por LMP às 23h21



CINQUENTA E 3

Queria apenas partilhar.

Escrito por LMP às 23h18



CINQUENTA E 2

Não me deixa falar, tambem não quer me ouvir!

Escrito por LMP às 23h12



CINQUENTA E 1

 ela cala a minha voz.



Escrito por LMP às 23h10



CINQUENTA

Não sei ao certo que rumo devo tomar para tornar a viagem menos árida. Sinto caminhar no DESERTO.



Escrito por LMP às 22h56



QUARENTA E 8

A cabeça dói. Parece triturar meus pensamentos.

Escrito por LMP às 22h50



QUARENTA E 7

Dias iguais repetem-se infinitamente, aumentando meu sofrimento.
Tudo depende de uma decisão, que procrastino como masoquista que sou.


Escrito por LMP às 22h50



QUARENTA E 6

Paro tudo para escrever  e tentar aplacar a vontade de estar mais perto.



Escrito por LMP às 22h45



QUARENTA E 5

A tela em branco que aos poucos preencho com letras, palavras, frases.



Escrito por LMP às 22h44



QUARENTA E 4

Perdido em meio a problemas, surge novamente a SAUDADE cortante que insiste em tocar-me de hora em hora, como se fosse um remédio amargo que deve ser ministrado em horários determinados.



Escrito por LMP às 22h31



QUARENTA E 3

Volto ao escritório onde uma maratona sem fim de afazeres me aguarda



Escrito por LMP às 22h21



QUARENTA E 2

Mendigos nas calçadas em meio a cobertores sem cor invadem meus pensamentos com os pedidos de costume. Apenas atuo no papel que me é reservado



Escrito por LMP às 22h10



QUARENTA E 1

 

Saio às pressas, tenho um compromisso que me fez acordar cedo. Bebo um café em um boteco qualquer, folheio o jornal que foi deixado a mesa, olho as pessoas que passam se dirigindo aonde não sei. Em comum entre elas apenas a pressa.



Escrito por LMP às 01h14



QUARENTA

Arrumo as roupas para lavar. Separo e guardo os objetos que estavam fora do lugar..



Escrito por LMP às 01h13



TRINTA E 9

 

Roupas amontoadas, sapatos fora do armário, almofadas jogadas ao chão misturadas à livros que insisto em não ler. O telefone jogado ao lado da cama faz aumentar a saudade de quem estava do outro lado da linha.



Escrito por LMP às 01h00



TRINTA E 8

Acordo cedo. Abro a janela. O dia ainda não surgiu. Vislumbro apenas a névoa que me faz pensar estar em outra cidade. A pouca luz do início do dia penetra em meu quarto, dando a claridade necessária para verificar a bagunça do dia anterior.



Escrito por LMP às 00h51



TRINTA E 6

Durmo!!!!!!!

Escrito por LMP às 00h48



TRINTA E 4

Leio um livro onde reconheço passagens. Outras não. Na vida, cenas se repetem insistentemente querendo me mostrar o caminho e conclusões as quais não quero chegar.



Escrito por LMP às 00h45



TRINTA E 3

 

Acendo um cigarro enquanto assisto ao dia  perder suas cores . Nuvens alaranjadas misturadas ao cinza-azulado de um imperceptível inverno. Em nada assemelham-se as tardes de inverno em Londres. Céu nublado, sol amarelo pálido, frio.



Escrito por LMP às 00h39



TRINTA E 2

 É, como se nunca antes houvesse sido amada, conservou um ar austero, porem nada conservador. Vulgar diriam.....Conversas adentram as horas, pedaços de mundos diferentes, destinos iguais.

Escrito por LMP às 00h30



TRINTA E 1

Asiáticos exóticos sentam-se na mesa, os asiáticos adentram a  minha boca.



Escrito por LMP às 00h25



TRINTA

 A  lua cheia, reflete nas paredes os reflexos de minha face triste, sinto uma tristeza no ar.



Escrito por LMP às 00h08



VINTE E 9

Recordo dos lindos olhos negros e enviesados, que só ela possuía, sinto  o  cheiro que sempre foi peculiar a ela..... Quanta saudade!  Imagino ela batendo a minha porta e adentrando meus sentimentos como sempre o fez..... Sem a menor cerimônia.

Escrito por LMP às 00h01



VINTE E 8

Tento chama-la, mas minha voz pareceu dispersa-se antes mesmo das PalAVras ToMArem FORmaS, talvez por ter eu chamado inutilmente tantas vezes por ela.

Escrito por LMP às 23h56



VINTE E 7

Ouço a ladainha do adeus continuo, ouço o murmúrio dos meus sonhos ocultos, olho para trás e sinto passos me seguirem.  Decido seguir ao imaginário de minha imaginação, confrontando assim minhas próprias idéias a respeito daquilo que não irei respeitar, ou sequer pensei.

Escrito por LMP às 23h54



VINTE E 6

“- Adeus.... adeus”- eram as únicas palavras que ecoava na alma dela.

Escrito por LMP às 23h53



VINTE E 5

                     

Durante os primeiros passos houve um silencio, ainda que não mórbido porem silencio, mas logo ouvi chamar meu nome. “- Preciso ser forte”- dizia ela.  “- Grite minha presença” – desejava eu.



Escrito por LMP às 23h51



VINTE E 4

Passos cortam silenciosamente o silencio da noite que chega.

Escrito por LMP às 23h44



VINTE E 3

Fixo meus pensamentos.....  A tarde cai. A noite de verão chega com um cheiro de jasmim (já ouvi antes esta canção!?!?!?!)

Escrito por LMP às 23h42



VINTE E 2

Meio-dia! Leio um trecho de um soneto do Neruda , TARDE ! Sinto também que já e tarde para amar aquela que traiu meu coração, amar quem roubou minhas idéias, de quem me fez sofrer.

Escrito por LMP às 23h40



VINTE E 1

Oportunos e indesejáveis pensamentos me vêem a mente, procuro sonhar acordado, não logro êxito.... Desperto!!!!!

Escrito por LMP às 23h37



VINTE

Tento sem sucesso voltar a dormir!

Escrito por LMP às 23h35



DEZENOVE

Gotas de chuva tocam a minha vidraça, amores passados tocam meu coração que por não ser leviano, tornou-se humano.... Mas sei lá.... Ainda não sinto a vontade de levantar.



Escrito por LMP às 23h34



DEZOITO

Manhã, outra manhã..... Não tão longe, um passaro com o silencio excitante, observa o meu não desejo de acordar. Risos!



Escrito por LMP às 23h26



DEZESETE

Recordo do amor verdadeiro que nunca encontrei, ou ao menos simulei não haver encontrado o que eu pensava amar. Sinto me cansado. Olho para o calendário ilustrado por um retrato em branco e preto de "Je suis belle", do Rodin. Os dias, os meses, o ano, não irão passar tão cedo. Onde o Rodin encontrou tantas formas para tamanha beleza? Um ar de graça me entranha. Tomo leite com sal, e tiro o amargo do corpo com água e açúcar... ...Nada fiz.



Escrito por LMP às 23h17



DEZESSEIS

Levanto-me com o desejo de me deitar antes de ficar em pé, já não consigo ficar deitado, já não sinto o teto sob os meus pés, lentamente, caminho por entre os cômodos do pequeno apartamento procurando  algo que não perdi, continuo a procurar aquilo que certamente nunca irei encontrar.



Escrito por LMP às 22h52



QUINZE

       

 Fico ansioso, pois quem estaria me escrevendo numa tarde como esta? Acesso o meu correio eletrônico e vejo que é apenas um "junk mail", apago antes de ler e vou tentando também apagar a ansiedade momentânea. É aquela forma humana da fotografia  onde andará? Que forma humana terá agora?



Escrito por LMP às 22h37



DOZE

                                                        

 

Olho para uma fotografia sobre minha papeleira, aos muitos noto que já não mais existem "nadas" na forma humana retratada naquele papel. São as formas, onde estão as formas?



Escrito por LMP às 22h29



ONZE

 

                                                                          

O imenso vazio aos poucos torna–se completo, desloco meu olhar do ventilador no teto, o girar das paletas me irrita, sinto a necessidade de tomar uma Coca-Cola.



Escrito por LMP às 22h05



DEZ

       

Um imenso vazio de formas me cerca nesta fria tarde de domingo, são cores sem formas, são objetos sem formas, são pensamentos sem formas... Nada parece fazer sentido, nada parece ter forma. Através da janela observo os carros passarem uniformemente velozes. O céu cinzento lembra Londres, Londres aos poucos toma forma em meus sentimentos, repentinamente estou em Nova York, na verdade nada foi Londres.



Escrito por LMP às 21h56



NOVE

Acordo!!!!!!!!!!!!!!

Escrito por LMP às 20h43



OITO

Retorno a minha morada. Onde não existem versos nunca antes lidos. Consigo dormir com o sonho das vidas que vivo. As idéias já não fazem sentido, o mundo se abre com a porta. Não passo a chave acreditando na segurança dos meus sonhos. Apenas durmo.



Escrito por LMP às 20h43



SETE

Vi tantas vocês aqui que já não sei mais quem são, tudo tão irreal, sempre acreditei no irreal das coisas reais, viveria assim vidas



Escrito por LMP às 20h37



SEIS

E sagrado o lugar onde tocam os sinos, é sagrada minha alma. Sagrado é o segredo por vir, que eu suponho guardá-lo. O tempo tão relativo e incerto lentamente passa. Tudo é apenas uma questão de segundos. Cada coisa há seu tempo, cada coisa com seu espaço. Tempo, espaço, espaço e tempo. Luxo!?

Escrito por LMP às 20h36



CINCO

Noto claramente o cheiro de Fleur di Rocais na bela senhora que me observa através da janela do metrô. Metrô o qual nunca irei tomar, pois não passa perto da minha morada. Subo as escadas do "subway" sem pressa, não tenho pressa de chegar onde ainda não pensei em ir. O outono nasce órfão de um verão que ainda não morreu. Cheiros imaginários de jasmins. Sinos tocam com ruídos rápidos e secos cortando o vazio de sons ausente em minhas idéias. Um grito de angustia e histeria adentra meus EUS sem pormenores ou subterfúgios, lavando-os com lagrimas geladas. Minha outra solidão ainda permanece, ainda enxergo o reflexo da minha imagem na vitrine. Uma brisa fria lambe a minha face. Um beijo imaginado.

Escrito por LMP às 20h35



QUATRO

Procuro  lembrar o meu outro alguém enxergando na vitrine o reflexo da minha semelhança, do meu suposto outro eu. As horas não passam, todavia o tempo real e definido calmamente se impõe sobre os pedestres que com destinos diferentes se cruzam num vai-e-vem frenético



Escrito por LMP às 20h33



TRES

Um olhar andrógino me observa por entre os vidros de uma vitrine na esquina da Quinta Avenida, um velho antecipa-se por entre os carros é desaparece, o olhar andrógino é desviado... Sinto me livre agora... Volto a caminhar como se aquele olhar nunca me tivesse antes acontecido.



Escrito por LMP às 20h23



DOIS

Olho pela minúscula janela do meu banheiro, onde não consigo ver os vestígios de um dia que já começou, o meio-dia chega com aspecto de noite trazendo um frio de inverno que aos poucos vai penetrando na ante-tarde de verão.

Escrito por LMP às 20h22



UM

Sinto saudades daquilo que ainda não vivi, talvez sinta o cansaço da caminhada que ainda não comecei, ou talvez nada sinta...  Sabe quem? Telefones tocam ao meu redor, toques... Toques... Corpos no imaginário tocam, líquidos de copos bebidos, tocam o suor de um outro corpo. Gosto de tamarindo amarga minha boca...  Tua presença circula o meu EU, minha presença não circula o meu NOSSO...  Nosso EUS são nossos, nossos NOSSOS é EU.......... Até o nada é relativo... Até onde? Até quando?   Amor meu grande amor... Jamais chegarei na hora marcada, não chegarei aos encontros, não chegarei aos teus sonhos em minutos marcados... Tudo esporadicamente alheio, tudo inevitavelmente alheio!



Escrito por LMP às 20h21



[ ver mensagens anteriores ]


Histórico
01/10/2008 a 31/10/2008
01/11/2006 a 30/11/2006
01/08/2006 a 31/08/2006
01/05/2006 a 31/05/2006
01/04/2006 a 30/04/2006
01/02/2006 a 28/02/2006
01/12/2005 a 31/12/2005
01/11/2005 a 30/11/2005
01/08/2005 a 31/08/2005
01/05/2005 a 31/05/2005
01/03/2004 a 31/03/2004
01/02/2004 a 29/02/2004


Votação
Dê uma nota para meu blog